quinta-feira, 28 de março de 2013

Detrás do Arbusto


Segundo Sócrates "desabafou" na entrevista de ontem, 27 de Março, à RTP,  Cavaco foi "a mão por detrás do arbusto" que conspirou para derrubar o seu Governo. Assim e numa primeira abordagem à lógica interna do discurso, poderá perguntar-se que faria Cavaco escondido em tal posição? Estaria agachado? Sendo um homem alto é natural que assim estivesse.
Nisto da topologia arbóreo-herbácea podemos considerar uma axiomática dos lugares relativos em que, dada uma conceptualização espacial para-quântica, não é possível dissociar o observador do observado. Por exemplo: a parte da frente da árvore será sempre aquela em que mija o cão, enquanto a parte de trás será sempre aquela onde mija o homem. Quanto aos arbustos, por serem de menores dimensões e de copa mais rasteira, estar "por detrás do arbusto" poderá evidenciar a ocorrência de necessidades políticas de maior solidez.
Cavaco, depois de ouvir a acusação do parisien retourné, é bem capaz de ter ficado a roer alfarrobas e a cuspir as sementes (que, por sinal, são rijas como cornos). Só lhe fará bem, dadas as propriedades anti-diarreicas dessa vagem (é isso e tremoços), o seu consumo regular evitará ter, de futuro, que recorrer a posições menos próprias como, por exemplo, estar de cócoras atrás de arbustos.

5 comentários:

Carlos Vieira disse...

Excelente e irreverent comentario!

imank disse...

Muito obrigado caro amigo.

Uma Páscoa Feliz.

Tozé

São disse...

Amigo, Cavaco de cócoras? É a sua posição natural!!

Boa Páscoa para vós e parabéns pelo texto, rrss

artedeomissao disse...

Foi hilariante ver os vários agentes a manipularem cá o Tuga.

Nem com as vicissitudes aprendemos e abrimos o nosso o campo de visão.

José Augusto Batista disse...

O Cavakid Atenbourough estava a observar a atividade dos predadores