quarta-feira, 30 de setembro de 2009

A "Bernarda"

"Está o baile armado"! É o que perspectiva a declaração de ontem, 29 de Setembro, do Senhor Presidente da República que vem exprimir o seu muito justo "direito à indignação" (expressão que o então PR Mário Soares utilizou, em tempos, contra o então PM Cavaco Silva, enquanto as respectivas "equipas" se referiam a um como "o gajo" e ao outro como "o tipo") .
As coisas raramente são apenas o que parecem, mesmo tendo em conta o ângulo em que são observadas e a perspectiva do observador. Neste caso concreto, afigura-se-me estar montada uma "bernarda" daquelas "à antiga portuguesa", uma autêntica moscambilha em que a separação não será propriamente entre os "Cavaleiros Jedi" e o Dark Side of the Force, nem um puro produto alucinatório de algumas suspicious minds em delírio paranóide.
Já disse, em post anterior, que não costuma haver "fumo sem fogo" e que este caso me parece uma hipérbole de "cenas" corriqueiras mais ao estilo Maxwell Smart do que Le Carré, com "paus-de-cabeleira" de um lado "espantalhados" na comitiva do lado "oposto" suscitando contra-ataques de ópera-bufa por parte daqueles que, se calhar, ainda acreditam (segundo uma velha lenda "anti-fascista") que é possível "conspirar" em cafés que são locais públicos num país de "primos" cuscos em que toda a "famelga" topa toda a "famelga" (fazendo-me lembrar aqueles cavalheiros que vão "secretamente" com as amantes ao cinema onde está a passar o filme do momento, ou passar um fim-de-semana de "escapadela" precisamente ao hotel onde há um Congresso).
É basicamente uma história muito mal contada de parte a parte em que toda a gente terá "esqueletos no armário" e em que os mais "espertalhões" e que cometeram menos erros tácticos, tiveram a vantagem da aparente reviravolta na hora H.
Aliás, nisso o PSD e a Presidência da Répública terão ainda que "comer muita maizena" para estarem ao nível do desempenho do dedicado staff do lobby do "Partido do Governo" que tem "especialistas" a tempo inteiro, pois nunca fizeram mais nada senão enxamear por dentro do aparelho de Estado("Adjuntos", "Assessores" e "penduras" em geral, em regra made in "J") e outros mais profissionais que até já incendiaram a sério noutras latitudes, todos do tipo de gente que se presta a tudo.
Menosprezar o "poder de fogo" desta "Pide" e desta nova "União Nacional" é ser "Totó" e, como de costume, as "ingenuidades" pagam-se caras.
Mais ou menos como aqueles árbitros que por serem simpatizantes publicamente conhecidos de um dos clubes em jogo o prejudicam, para não serem acusados de o beneficiar.
Que é tudo muito terceiro-mundista é verdade, que dá mau aspecto também, só não nos deslustra muito por comparação - afinal em França o Presidente da República (Sarkozy) anda em tribunal com um ex-Primeiro Ministro (de Villepin) e na Itália pontifica Berlusconi.
É mesmo caso para concluir que, afinal, já chegámos mesmo à Madeira!

Um comentário:

António Costa disse...

Eu ouvi a comunicação ao pais do Senhor Silva e a dado momento porque não entendi o que ele queria dizer deu-me a sensação que estava nos idos anos 70 e tinha fumado uma ganza que me tinha dado uma pedra daquelas. O home não disse nada, nada esclareceu antes pelo contrário, andou à roda à roda e adensou a curiosidade de como isto vai acabar, cá para mim em aguas de bacalhau.